Poemas de Sônia Bernardes Faria de Souza

Veja um grafo dos poemas de Sônia Bernardes Faria de Souza

No alto daquela serra,
Bem perto do Morro das Cabecinhas,
Numa casinha pequeninha,
Eu ouvi uma conversa.

Andando bem devagarinho
Eu fiz uma prece,
Tropeçando nos matos e espinhos
Cheguei com pressa.

Casa alegre, toda enfeitada,
Estavam numa prosa
Com muitas gargalhadas,
Um casal de centenários.

De frente me esclareceram:
— Vencemos a gripe espanhola,
Que muita gente morreu,
Agora vencemos a Covid-19,
Que o mundo inteiro comoveu.
0